Sunday, December 16, 2012

The Head Gardeners


The Head Gardeners - Heroes of Horticulture
de Toby Musgrave

Muito boa leitura. O 'Head Gardener' é o 'Jardineiro-chefe' e o responsável pela organização de um jardim e de todos os jardineiros que trabalham no jardim. Este livro é sobre jardinagem em Inglaterra e os seus personagens, neste caso, os jardineiros, mas não só.
Neste livro podemos ler sobre quando os jardins começaram a ser locais de prazer, sobre os primeiros jardins, sobre a educação e aprendizagem de um jardineiro-aprendiz, os diversões escalões até se chegar a jardineiro-chefe, as contribuições desses homens que dedicaram as suas vidas à jardinagem, histórias de alguns jardineiros-chefe mais famosos, entre eles o Joseph Paxton, um personagem extremamente interessante, e muito mais sobre jardins, jardinagem e os seus heróis.
Para quem tem interesse em História da Jardinagem este é um livro muito interessante. Aqui se vê a importância que os jardins têm para a cultura e para a sociedade inglesa. Muito bem escrito e documentado, com histórias e particularidades muito interessantes. Um livro com o qual se aprende muito. Excelente.

2 comments:

João Inácio said...

Olá José,

O livro tem também histórias tristes dos meninos que viviam em quase escravidão como aprendizes, trabalhando duro, passando muito, mas muito frio e ganhando uma miséria.

Além de rico material sobre jardinagem, The Head Gardeners é um retrato muito bem feito sobre a divisão da sociedade inglesa em classes bem separadas umas das outras. Também é um retrato de como era dura a vida da "working class" britânica, sua relação com a realeza e o fascínio e antipatia mútuos que um exercia sobre o outro. Grande livro!

Jose Santos said...

João, é o retrato da sociedade de uma época. O que acho interessante foi que muitos desses meninos conseguiram educar-se e subir de escalão. Um jardineiro chefe era instruído e estudioso. O livro transmitiu-me essa mensagem de esperança e de empenhamento num futuro melhor.
As classes são naturais numa sociedade. Ainda hoje. Era bom que não houvesse diferenças mas sempre houve e haverá.
E infelizmente ainda há muitos países onde as crianças são escravizadas, mesmo hoje quando já passaram tantos séculos. Não em Inglaterra, felizmente também não em Portugal, mas ainda temos muita miséria no mundo.